domingo, 19 de fevereiro de 2017

Dobradinha no atletismo


O Sporting conquistou hoje a dobradinha no campeonato nacional de pista coberta de atletismo. Um feito que não acontecia desde 2011, data da última conquista em masculinos. Já as leoas revalidaram o título nacional e conquistaram hoje o heptacampeonato.  


Resultados finais


Masculinos


Femininos



Uma época em grande


No fim-de-semana passado 18 atletas do Sporting venceram competições no campeonato nacional de pista coberta individual, numa incrível demonstração de força.


Uma época que começou com em grande com a conquista do campeonato nacional de estrada por equipas Feminino e vitórias individuais de Jéssica Augusto e Hélio Gomes. Em 4 títulos, vencemos 3. 

No corta-mato, o Sporting esteve perto de reconquistar o título europeu que venceu pela última vez 1994. O segundo lugar serviu para abrir o apetite para as próximas participações. 

A maior potência desportiva nacional



Os dados falam por si. As leoas só por duas vezes o Sporting não conseguiu ser campeão nacional. São uns impressionantes 22 títulos nacionais em 24 possíveis. Em masculinos, só Sporting e Benfica conseguiram conquistar o campeonato. O Sporting tem uma grande vantagem em termos de títulos mas já não vencia desde 2011. 

A vitória hoje alcançada tem obviamente mérito de todos os atletas do Sporting, mas há que dar destaque a Nelson Évora que venceu o triplo salto, que é a sua especialidade. Para além dessa prova, "fez o favor" de participar no salto em comprimento, que também conseguiu vencer ajudando e muito a equipa.

Parabéns a todos. 

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

Oposição atenta e vigilante


Com a prosápia própria de quem nada tem, nada fez e demonstra absoluta pequenez, o membro do CA da FPF com o epíteto de presidente, veio às lides anunciar a ida dos dois principais árbitros nacionais a países do Médio Oriente para ali dirigirem jogos das competições internas. 

Porque em plena fase das grandes decisões nas provas europeias, não fossem aqueles esclarecimentos, quem lesse o “Boletim de Indisponibilidade” por aquele órgão editado, onda consta terem ambos sido designados para jogos internacionais, pensaria terem sido indigitados para Liga dos Campeões ou Liga Europa. Assim, todo o universo do futebol nacional deve sentir orgulho, incomensurável alegria pois, competições catalogadas como terceira ou quarta divisão no conceito da FIFA são merecedoras de encómios pelo putativo máximo dirigente do CA. 

Sabendo que tudo o que é bom na vida é ilegal, imoral, engorda ou engravida, partindo do natural raciocínio que os filiados em causa não engravidam, não cometem ilegalidade ou ato imoral por respeitarem a designação, os mesmos deverão sentir compreensível agradecimento por poderem engordar o pecúlio e durante uns dias estarem longe de incongruências. No passado, quando situações semelhantes ocorreram, os Dirigentes de então, pessoas simples e despretensiosas, esclareciam que as designações verificadas se deviam a “pedidos formulados pelas Federações respetivas”. 

Enfim, não foi por acaso que Aldous Huxley escreveu: “A maior lição que a História tem para nos dar É que ninguém aprendeu com as lições que a História nos deu”. Entretanto, para as provas internas, as designações para os jogos do próximo dia 20, segunda-feira, não foram anunciadas em conjunto com as demais. Porque será? Que razões objetivas e determinantes subsistem? Os contendores não oferecem garantias de sensatez e decoro? Haverá riscos de “contaminação” de transparência e respeito competitivo?

Artigo de Jorge Coroado no jornal Ojogo de 17-02-2017

Este post enquadra-se na minha análise de ontem (aqui).

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Um apito das arábias


O futebol nacional não pára de surpreender os portugueses que tanto adoram este desporto. Mais uma semana, mais uma decisão absolutamente inacreditável por parte das instâncias que governam e regulam o futebol nacional.

Importa também referir que a imprensa, comentadores e derivados estão todos calados. Está tudo perfeito. No pasa nada! Vejamos:

A notícia


Na passada quarta-feira a comunicação social nacional anunciou que Jorge Sousa e Artur Soares Dias iriam apitar jogos nas arábias. 


Reparem a forma como este assunto foi tratado. Em todas as notícias nos jornais online foi referido o take da agência Lusa que cita uma fonte do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol. 

Eu pergunto, eu assunto desta importância não merece uma comunicação formal por parte dos dirigentes do Conselho de Arbitragem? 

A comunicação oficial



Esta foi a única comunicação do Conselho de arbitragem sobre o assunto. No boletim de indisponibilidade divulgado no site da FPF, a justificação apresentada para a dispensa foi: "Nomeados para jogos internacionais". Ora, que lê isto até pode pensar que foram apitar algum jogo das competições Europeias ou de selecções. 

Money, money, money


O Conselho de Arbitragem da FPF, a FPF e a Liga de clubes deveriam ter como principal objectivo dar todas as condições para que a competição decorra da melhor forma possível. Com bons estádios, boas equipas, boa organização, justiça eficiente, regras claras, fair-play, etc.

Como se justifica então que o Conselho de arbitragem dispense aqueles que são considerados os dois melhores árbitros portugueses para apitarem jogos nas arábias? Ainda para mais numa fase decisiva do campeonato nacional, onde Benfica e Porto lutam taco a taco pelo primeiro lugar. Isto cabe na cabeça de alguém? 

Que eu tenha visto, o único programa que pegou no tema foi o Mais Transferências da TVI 24. Nesse programa, ouvi vários intervenientes referirem que os "árbitros foram ganhar a vida". É uma boa justificação. Uma boa forma de ganhar a vida é aceitarem vouchers. Um jantar à borla e a "gastar" para toda a família, também é uma boa forma de "ganhar a vida".

E os senhores do conselho de arbitragem, também ganharam algum? A FPF? A APAF? A Liga? 


Os reis da coação, perdão, cortesia


Para o jogo do Benfica em Braga, foi nomeado Tiago Martins. O mesmo árbitro que no último jogo em que apitou o Benfica fez isto...


A máquina de propaganda encarnada está a fazer tudo o que é possível a imaginável para condicionar o trabalho da equipa de arbitragem neste jogo. Começaram com um fortíssimo ataque ao Tiago Martins, por ter expulso Rui Vitória após o jogo. Esquecem-se que de acordo com o que foi noticiado pela imprensa, foi Hugo Miguel (árbitro de baliza)


Esta notícia foi lançada durante a noite e ontem numa fase em que o jogo do Dragão ainda não tinha acabado. O Record foi o primeiro jornal a publicar e de seguida seguiram-se todos os outros. Curioso não é? Ainda mais curioso fica se olharmos para isto (aqui).

A importância do jogo para o campeonato é visível aos olhos de todos. Neste sentido, por que será que os dois melhores árbitros foram dispensados para as arábias? Um destes árbitros deveria obrigatoriamente de estar neste jogo.


No calor da noite


No jogo de ontem do Porto, o Sr. Luís Ferreira mostrou toda a sua "categoria" ao marcar uma grande penalidade inexistente e ao expulsar um jogador do Tondela onde nem sequer há falta.



E assim vai o campeonato português, onde os melhores árbitros são dispensados para irem fazer pela vida e os que cá ficam também o fazem, mas de forma diferente.

Já que estamos numa de intercâmbio com os árabes, aproveitam e mandem vir árbitros de lá para apitarem os jogos da nossa liga. Piores não serão, de certeza absoluta.

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)