segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Três notas sobre o Sporting-Aves


Relativamente ao jogo de ontem que o Sporting venceu de forma tranquila quero apenas deixar três notas que me parecem ser relevantes.

A estreia de Rúben Ribeiro



A enorme tranquilidade com que se estreou com a camisola do Sporting foi bem visível na forma como construiu o primeiro golo da partida. Jogada fantástica do novo camisola 7 do Sporting. Nos festejos do golo foram bem visíveis os tais problemas de balneário que alguns patetas tentam apregoar. Saliento que já desistiram de propagandear os "problemas entre Bruno e Jesus". Passarem agora para os jogadores, é sempre uma evolução na narrativa.

Ficam as análises dos desportivos à estreia.


Este episódio serve, mais uma vez, de lição para alguns Sportinguistas que gostam de criticar as contratações antes de verem os jogadores em campo. Foi assim com Mathieu, Piccini, Coentrão e agora com Rúben Ribeiro.

O penálti que ficou por assinalar



Desde logo é importante referir que a transmissão da Sporttv só deu dois planos do lance onde nem se conseguia ver a jogada devidamente. Tendo acesso a todos as câmaras, o VAR Jorge Sousa verificou uma falta sobre Bas Dost mostrando o melhor ângulo do lance ao árbitro da partida, que não aceitou a recomendação. De facto, vista a repetição atrás da baliza consegue-se perceber Bas Dost foi abalroado tendo ficado em mau estado físico. João Pinheiro fica mal na fotografia ao não ter assinalado o penálti, na linha do que já tinha acontecido com Rui Costa numa grande penalidade que ficou por assinalar por falta sobre Gelson Martins no Sporting-Chaves.

Neste caso, uma palavra para Jorge Sousa pela boa recomendação. Dizer também que o ângulo escolhido pelo VAR para mostrar a falta nunca passou em ecran total na realização da Sporrtv, tendo apenas passado no momento da análise com o ecran dividido o que torna mais difícil a visualização do lance.


O regresso de José Peseiro a Alvalade



No início da segunda parte a realização da Sporrtv focou José Peseiro nas bancadas de Alvalade. O antigo treinador do Sporting resolveu assistir à partida no meio do "povo" e ninguém lhe fez mal nenhum. Se fosse noutro estádio todos sabemos onde é que José Peseiro via o jogo e com sorte ainda levava um voucher para o museu da cerveja. Ou isso ou então tinha direito a uma voltinha num elefante branco (aqui).

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aqui)

O dia em que Carlos Janela foi corrido a pontapé do Belenenses


Passam hoje precisamente 10 anos desde o dia em que Carlos Janela foi demitido do cargo de Director desportivo do Belenenses, depois do célebre "caso Meyong". Fica aqui a recordação do último dia em que Carlos Janela colaborou com o futebol profissional. Depois disso, passou a ser o escriba da cartilha do ódio, como é do conhecimento geral.

Corrido a pontapé



Carlos Janela teve cargos na estrutura de futebol de 3 clubes: Famalicão, Sporting e Belenenses. No Famalicão esteve envolvido num escândalo de corrupção que fez com que o Famalicão não subisse de divisão. No Sporting teve uma prestação absolutamente miserável, como os Sportinguistas se recordam. No Belenenses está aqui um pouco da história, mas muito poderia ser acrescentado. Perante todo este histórico, só mesmo o Benfica para dar pouso a esta ave rara.

Está mais do que evidente que este senhor é o autor da cartilha. Está também em investigação pela PJ eventuais actos de corrupção a jornalistas por parte de Carlos Janelas. Mesmo assim, a CMTV continua a abrigar este sujeito sob um guarda-chuva de imparcialidade. Até quando?


Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aqui)

domingo, 14 de janeiro de 2018

Alguém viu o trolha na sala de imprensa?


Depois da cimeira entre os líderes do Benfica e do G15 num hotel de Braga na semana passada, os chefes de obras reuniram-se para nova empreitada na noite de ontem.

Penálti por assinalar a favor do Braga



Aos 82´ com o jogo em (1-2) o Braga poderia ter empatado a partida caso Artur Soares Dias e o VAR Luís Godinho tivessem visto o empurrão com a mão esquerda de Rúben Dias a Diego Sousa. Não viu a equipa de arbitragem, não viu Abel e muito menos viu António Salvador que provavelmente por essa altura estaria a chapar massa.

Terceiro golo do Benfica precedido de falta



Ao 90´ André Almeida comete uma falta dura sobre André Horta. Seria um livre muito perigoso e o segundo cartão amarelo para o defesa do Benfica que deixaria a sua equipa com 10 elementos nos últimos 5 minutos da partida. Soares Dias não viu e mandou seguir. No contra-ataque, o Benfica faz golo.

Ora, o protocolo diz que as jogadas dos golos devem ser revistas e em caso de existir uma falta da equipa que marcou o golo, o mesmo deve ser invalidado. Foi precisamente o que aconteceu neste lance.

A equipa de arbitragem não viu, Abel não viu e muito menos viu António Salvador que estaria assentar blocos por essa altura.

Penálti sobre Jonas?


Existe um lance de pontapé de penalti sobre Jonas, mas o atacante está em offside. Logo tem de ser considera a primeira infracção: offside.


Coação é isto


Não esquecer que a semana começou com isto:


Perante tudo isto, alguém viu o trolha na sala de imprensa depois do jogo de ontem? O que passou se Salvador? 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aqui)